FECOMÉRCIO - Varejo paranaense cresceu em julho
  • 25-anos
  • despoluir
  • sest senat

FECOMÉRCIO - Varejo paranaense cresceu em julho

13 de setembro, 2017

O varejo paranaense começou a dar sinais de melhora em julho. Segundo a Pesquisa Conjuntural da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), houve alta de 3,75% no faturamento no mês de julho na comparação com igual período do ano passado.
Essa recuperação foi motivada pelos setores de móveis, decorações e utilidades domésticas (40,02%), lojas de departamentos (32,89%), calçados (9,14%), concessionárias de veículos (5,27%) e vestuário e tecidos (4,68%).

Na variação mensal, de junho para julho, também houve aumento no faturamento, de 2,5%. As vendas do acumulado do ano ainda continuam negativas, mas apresentaram reação positiva. Em junho o varejo acumulava perda de 2,64% e em julho a queda foi menor, de 1,32%.

Análise regional

Entre as seis regiões analisadas pela pesquisa, praticamente todas – exceto Maringá –, saíram do vermelho. Na comparação entre julho deste ano com o mesmo mês de 2016, as vendas da região Oeste cresceram 7,13%, principalmente em função da safra de inverno, alavancadas lojas de departamentos (40,75%), vestuário e tecidos (37,34%), concessionários de veículos (25,4%), materiais de construção (13,2%) e supermercados (7,17%).

Em Londrina houve alta de 5,27%, com destaque para as lojas de departamentos (61,07%), combustíveis (30,95%), móveis, decorações e utilidades domésticas (15,91%) e calçados (14,96%).
Curitiba e Região Metropolitana registraram aumento de 4,4% no faturamento, motivado por móveis, decorações e utilidades domésticas (59,65%), lojas de departamentos (15,57%) e pela retomada na venda de automóveis (3,36%).

Com 3,02% positivos, os melhores resultados na região Sudoeste foram obtidos pelas lojas de departamentos (57,41%), óticas, cine-foto-som (54,03%) e pelas concessionárias de veículos (6,64%).
Ainda que tímido, Ponta Grossa teve crescimento de 0,26% nas vendas. Destaque para os setores de calçados (60,57%), lojas de departamentos (37,01%), autopeças (26,18%) e móveis, decorações e utilidades domésticas (10,92%).

Maringá foi a única região a apresentar perda, com -5,37%, apesar do aumento significativo nas vendas de lojas de departamentos (56,26%).

Fonte: Fecomércio

 

Comente pelo Facebook

25 ANOS

Visite o hotsite em comemoração aos 25 Anos

saiba mais
DESPOLUIR

Programa Ambiental do
Transporte

saiba mais
SEST SENAT

Serviço Social do Transporte
Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte

saiba mais
JORNAL Jun/2018
Proluv
Top