Pedágio no Paraná: governo divulga projeção das tarifas que serão levadas a leilão

Pedágio no Paraná: governo divulga projeção das tarifas que serão levadas a leilão

13 de agosto, 2021

O Governo Federal divulgou, na quarta-feira (11), uma tabela com as projeções das tarifas de cada praça de pedágio que serão levadas a leilão com o novo modelo de concessões definido para as rodovias do Paraná.

O novo modelo foi apresentado em evento no Palácio Iguaçu, em Curitiba, pelo governador Ratinho Junior (PSD) e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, além do secretário estadual de Infraestrutura, Sandro Alex.

Veja, mais abaixo, as tabelas com a estimativa inicial de preço para cada praça de pedágio.

O pacote é formado por rodovias estaduais e federais. Do total de 3,3 mil quilômetros de rodovias, segundo o projeto, 65% são de rodovias federais e os outros 35% de estradas estaduais.

Para ir a leilão, a Assembleia Legislativa do Paraná (Alep-PR) ainda precisa aprovar o repasse das rodovias estaduais para o Governo Federal. O projeto está sendo analisado pelos deputados e, depois, a proposta de concessão precisa passar por análise detalhada do Tribunal de Contas da União (TCU).

Os novos contratos de pedágio vão ser divididos em seis lotes, que vão a leilão separadamente. A decisão de cada um dos lotes será feita por disputa livre na bolsa de valores. A perspectiva é que o pregão ocorra no primeiro trimestre de 2022.

Projeto que permite concessão de rodovias estaduais tramita na CCJ da Alep; veja quais trechos de PRs devem ser pedagiados
Com as mudanças previstas, o governo informou que serão criadas 15 novas praças de pedágio no estado.

As atuais concessões vencem em novembro deste ano. O Governo do Paraná garantiu que, no período em que os trechos ficarem sem concessão até que se conclua o processo, o estado vai garantir o atendimento em caso de acidentes.

Neste período, a manutenção das rodovias estaduais deve ficar a cargo do governo do estado, e as rodovias federais devem ser mantidas pelo Governo Federal.

O governo do estado disse ainda que as cancelas de pedágio ficarão sem cobrança até que os trechos sejam assumidos pelas novas concessionárias.

Entre as obras previstas no pacote, estão a duplicação de quase 1,8 mil quilômetros e a instalação de rede de internet wi-fi em todos os trechos de concessão.

O modelo também prevê a construção de 10 contornos urbanos e faixas adicionais em rodovias já duplicadas, terceiras faixas, além de câmeras de monitoramento e iluminação em LED.

O governo também anunciou mais de 1 mil quilômetros em obras de viadutos, trincheiras e passarelas. De acordo com o modelo, 90% das obras precisam ser realizadas até o sétimo ano do acordo e 100% até o décimo ano.

O ministro Tarcísio Gomes de Freitas defendeu o modelo apresentado e disse que, desta forma, as concessões devem ter uma "tarifa justa".

“Precisava de um modelo que afastasse aqueles caras que vêm para o leilão para depois não fazer o empreendimento. Se o desconto é agressivo demais, você está destruindo caixa. Então, a primeira coisa não é a menor tarifa, mas é a tarifa justa, que vai remunerar a carga de investimento que virá”, disse.
Ainda conforme o governo, até as obras serem concluídas, haverá um desconto de 40% no valor da tarifa, e o preço cheio só pode ser cobrado após a totalidade das entregas das obras.

Projeções das tarifas

O governador Ratinho Junior afirmou que o desconto em relação às tarifas atuais deve ser, em média, de 40% a 50%, a depender da disputa entre as concessionárias no leilão.

Conforme o modelo da disputa por menor preço, os valores citados como "novos" nas tabelas abaixo são referentes aos preços iniciais apresentados ao leilão.

A partir deles é que as empresas candidatas apresentam propostas para abaixar os preços, e quem oferecer o menor valor, vence.

Os valores atuais divulgados nas tabelas foram informados pelo Governo Federal e, portanto, podem ter variação.

Confira tabela por praça

Fonte: G1 Foto: Giuliano Gomes/PRPress

Comente pelo Facebook

JORNAL Abr/2022
Top