O CARRETEIRO - Febre amarela: motoristas devem se vacinar contra a doença

O CARRETEIRO - Febre amarela: motoristas devem se vacinar contra a doença

22 de janeiro, 2018

Motoristas de caminhão que viajam por diversos Estados brasileiros devem se prevenir contra a febre amarela.

A doença é infeciosa e transmitidas por mosquitos em áreas urbanas (Aedes aegypti – mesmo da dengue) ou silvestres (Haemagogus). A maneira mais segura de prevenção é a vacina, disponível nos postos de saúde.

A vacina é constituída de vírus vivos atenuados. O efeito da vacina aparece a partir de, aproximadamente, 10 dias após a injeção.

Carreteiros devem estar atentos, pois o número de casos no País vem aumentando. O último balanço divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) mostra que entre julho de 2017 a 14 de janeiro, foram confirmados 35 casos da doença, com 20 mortes, sendo a maior parte concentrada em São Paulo. Somente o Estado contabiliza 20 infecções confirmadas, com 11 óbitos. Se comparar com os resultados apresentados na última semana de dezembro o aumento é significante, já que o País contabilizava quatro infecções confirmadas, com uma morte.

Confira os sintomas:

- febre alta
- calafrios
- cansaço
- dor de cabeça
- dor muscular
- náuseas e vômitos por cerca de três dias

Quando a doença se agrava:

- insuficiências hepática e renal
- icterícia (olhos e pele amarelados)
- manifestações hemorrágicas
- cansaço intenso

Os casos graves, que podem levar à morte, são uma minoria, cerca de 10%. Mas, entre esses casos graves, em 50% ocorre o óbito.

Ao identificar algum dos sintomas, o carreteiro deve procurar um médico e informar sobre qualquer viagem para áreas de risco cerca de duas semanas antes.

Fonte: O Carreteiro

 

Comente pelo Facebook

JORNAL Ago/2019
Top