Segurança portuária é dabatida em Paranaguá

Segurança portuária é dabatida em Paranaguá

25 de setembro, 2020

Na foto, Major Kamakawa, Chefe da Segurança Portuária do Porto de Paranaguá; Diretor Presidente do Porto Luiz Fernando Garcia; Capitão de Mar e Guerra Herbt Orempuller do Ministério da Defesa e o assessor da Fetranspar, Manoel Jorge dos Santos Neto

A Portos do Paraná e os terminais que atuam no Porto de Paranaguá participaram de um evento sobre segurança portuária, nesta quinta-feira (24). Com participação de representantes do Ministério da Infraestrutura e do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, o objetivo é aproximar as diferentes forças de segurança e ampliar o intercâmbio de informações.

A palestra reuniu Polícia Federal, Polícia Civil, Polícia Militar, Guarda Municipal e Guarda Portuária, além de empresas e terminais que atuam nos portos paranaenses.

“O porto é um ambiente onde se confundem diversas forças de segurança, com diversos níveis de atuação. Este evento é importante porque congrega todas essas forças para um único propósito e, assim, nós transmitimos segurança aos usuários”, conta o diretor-presidente da empresa pública, Luiz Fernando Garcia.
“Temos uma preocupação constante com a qualidade e eficiência dos serviços, mas sem segurança não conseguimos atingir o nível de excelência que buscamos no Estado do Paraná”, completa.

Palestra

A apresentação principal foi feita pelo Capitão de Fragata, Marcio Braga de Souza, assessor militar do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República. O trabalho, que é feito em diferentes portos brasileiros, tem como foco a segurança das infraestruturas críticas do setor de transportes aquaviários.

“Nosso objetivo é colher dados a respeito de como estão as instalações portuárias, como tem sido efetuado os trabalhos das Guardas Portuárias, da segurança patrimonial, como está o envolvimento dos entes estaduais, como é o relacionamento que eles adotam entre si, a troca de informações. O objetivo é criar uma mentalidade de segurança, que é de interesse do país”, salienta.

Para Rodrigo Bartolomei, delegado da Polícia Federal no GSI, afirmou que o principal interesse é envolver os atores que atuam no porto para debater medidas de aprimorar a segurança portuária e aumentar a repressão aos crimes.

“Este ano já foram cinco toneladas de cocaína apreendidas. No ano passado foram mais de 20. Isso é importante porque mostra que está sendo feito um trabalho sério de combate ao tráfico de drogas”, avalia.

Parceria

O Ministério da Infraestrutura também participou do encontro. “Nosso papel é dar o apoio e o suporte necessários para a avaliação de riscos e mapeamento de ações. Paranaguá é um porto fundamental para o país, com altíssimos índices de movimentação de cargas”, destacou o representante da pasta, Ednilson Oliveira Ferreira.

Depois da palestra, o grupo conheceu as estruturas do porto e alguns terminais. “Com os dados obtidos na visita, o Gabinete de Segurança Institucional nos remete suas orientações. Assim, podemos fazer as devidas correções e manter a segurança elevada”, conta o chefe da Unidade Administrativa de Segurança Portuária da Portos do Paraná, César Kamakawa.

 

 

Comente pelo Facebook

JORNAL Out/2020
Top