SEST SENAT – Quando o remédio é veneno

SEST SENAT – Quando o remédio é veneno

27 de agosto, 2018

Motoristas que se automedicam estão arriscando a vida duplamente. Primeiro, porque o “remedinho” sem prescrição médica pode ter efeito oposto ao desejado e agravar o estado de saúde. Segundo, porque certos medicamentos têm efeitos sobre a concentração, a coordenação motora, os reflexos e a capacidade de se manter acordado, aumentando a chance de o condutor se envolver em um acidente de trânsito.

Entre os medicamentos que podem alterar a habilidade e a percepção, estão os antidepressivos, os ansiolíticos, os antialérgicos, os anticonvulsivantes, os relaxantes musculares, os analgésicos opioides e, também, alguns remédios para controlar a glicose. Vários deles são bem populares, e nem todos são “tarja preta” — comercializados apenas com receita e cujo abuso pode causar dependência.

“O motorista precisa ter a consciência de que o remédio sugerido a ele por um amigo ou pelo balconista da farmácia pode não ser o necessário para resolver o problema. Pelo contrário, pode levar ao mascaramento de sintomas e à postergação do tratamento correto”, alerta o médico Ricardo Irajá Hegele, da Abramet (Associação Brasileira de Medicina de Tráfego). “É preciso buscar uma opinião especializada para não ter risco de uma intoxicação ou de um efeito adverso, o que pode ser extremamente perigoso”, reforça.

A cirurgiã-dentista Andrea Mezel, do SEST SENAT de Cabo de Santo Agostinho (PE), conta que a automedicação também preocupa os odontólogos. “Ouço relatos do tipo: ‘Tive uma dor de dente esta noite, tomei tanto remédio e não adiantou nada’”. Diante desses casos, a especialista faz advertências severas. “Digo a esses pacientes que, agindo dessa forma, tomando uma ‘bomba’ de antiflamatórios, antibióticos e analgésicos, estarão apenas se intoxicando e trazendo risco de derrame cerebral, risco de infarto do miocárdio, picos de hipertensão e comprometimento da atenção”.  

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), o Brasil é o quinto país com o maior número de acidentes de trânsito. Mais de 40 mil brasileiros morrem, por ano, nesse tipo de ocorrência. Preocupado com esse cenário, o SEST SENAT promove periodicamente a campanha nacional Combate ao Uso de Drogas e Álcool.

O SEST SENAT oferece, ainda, atendimento psicológico aos trabalhadores do transporte. Clique aqui para buscar a unidade mais próxima.

Fonte: SEST SENAT Foto: Divulgação

Comente pelo Facebook

JORNAL Jul/2020
Top