Sem pedágio, serviço público de guincho nas estradas deve começar em fevereiro

Sem pedágio, serviço público de guincho nas estradas deve começar em fevereiro

31 de janeiro, 2022

Um novo grupo de empresas deve assumir os serviços de guincho e socorro mecânico nas estradas que compõem o Anel da Integração nos próximos dias, enquanto as novas concessões do pedágio não saem. De acordo com o Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR), a licitação já está concluída e as empresas selecionadas estão em fase de contrato para assumirem o serviço na segunda quinzena de fevereiro.

De acordo com o DER, a contratação foi feita em convênio com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) para licitar empresas que atuarão até mesmo nas estradas federais que cruzam o Paraná.

As empresas deverão prestar serviços de guincho leve e pesado para desobstrução de pista e remoção de veículos, operações de atendimento mecânico (como troca de pneus e carga elétrica), inspeção de tráfego, com equipes específicas para percorrer a malha do Anel de Integração ao menos três vezes ao dia.

Atualmente, só dois dos seis lotes -- estradas que cada concessionária administrava no Anel da Integração -- estão cobertos por estes serviços, ainda que sem pedágio. No caso do lote 1 (rodovias antes atendidas pela concessionária de pedágio Econorte) e do lote 4 (rodovias antes atendidas pela concessionária de pedágio Caminhos do Paraná), o DER fez acordos judiciais para a continuidade dos serviços aos usuários pelas próprias ex-operadoras.

Além de uma empresa para cada trecho, houve contratação de uma gerenciadora de operação. Ela vai trabalhar na fiscalização e no desempenho desse serviço.

“O estado entendeu que devido ao grande volume de tráfego nas rodovias e à importância do Porto de Paranaguá, é importante oferecer esse serviço de guincho”, explicou o diretor de operações do DER-PR, Alexandre Castro Fernandes. “Uma rodovia fechada por um dia pode trazer um prejuízo muito grande ao estado”.

Para disponibilizar o serviço, o convênio desembolsará R$ 90 milhões.

Serviço terá um número 0800 para ligar em caso de problemas na estrada
O atendimento de guincho será gratuito. Dentro das exigências dos contratos, está a presença de veículos de inspeção que percorrem 24 horas e monitoram ocorrências. Também será criada nas próximas semanas uma central 0800 para chamadas.

“Esse serviço tem como principal finalidade a desobstrução da pista. O guincho não vai levar um carro quebrado para a oficina. Nós vamos lá para tirar os veículos e dar fluidez para a pista”, pontuou o diretor de operações.

Por Mariana Braga – Gazeta do Povo 
Foto Ary Dias -  AEN 

Comente pelo Facebook

Tags: #auxilionasestradas #pedagio #parana

JORNAL Ago/2022
Top