REVISTA FROTA - Operadores logísticos falam sobre impactos da crise e cenário pós pandemia

REVISTA FROTA - Operadores logísticos falam sobre impactos da crise e cenário pós pandemia

15 de maio, 2020

Durante a tarde de hoje, foi realizado um Webinar pela ABOL (Associação Brasileira de Operadores Logísticos, juntamente com a Fundação Getúlio Vargas. Dessa forma, reunindo executivos de grandes empresas do setor o tema discutido foi ‘O futuro dos operadores logísticos pós-COVID-19: impressões e tendências’.

Foram mediadores do encontro, Mauricio Barros: presidente do Conselho Deliberativo da ABOL e DHL e Cesar Meireles, presidente da ABOL.

Dentre os participantes, estava Fernando Antônio Simões, CEO da JSL, grupo brasileiro de empresas relacionadas aos transportes e logística, que contou como a pandemia do novo coronavírus tem impactado o dia a dia da companhia.

“Nossa primeira preocupação foi com os nossos colaboradores. Assim, adaptamos locais de trabalho, fizemos o máximo para evitar o uso de transporte público, e adotamos o sistema de trabalho remoto para todas as funções possíveis. Além disso, realizamos algumas ações sociais como a doação de mais de 1 mi de reais em EPI. Com isso, conseguimos ajudar caminhoneiros ociosos (autônomos) que foram colocados para trabalhar em ações como adistribuição de marmitas em SP. Reforçamos a segurança de operações que continuam funcionando. Aqueles que não tem operação temos garantido alimentação e uma renda mínima, e aqueles nas estradas recebem kits de higiene e alimentação”, completou o executivo.

Um presente conturbado e um futuro ainda mais incerto

Também presente no encontro, Janaina Duarte Araújo, diretora presidente da TORA, transportadora com mais de 58 anos no mercado brasileiro, falou sobre a dificuldade de prever os próximos passos do setor.
“Ainda temos uma visibilidade muito pequena do que acontece hoje. Imagina daqui para frente? Entretanto,  acreditamos que o multimodalismo é uma tendência muito forte”.

Apesar do momento complicado, a executiva disse que é possível tirar boas lições da pandemia. “Nós precisaremos investir mais em tecnologia. Um exemplo disso é que hoje não temos mais fiscal em nossas operações. Nós adaptamos câmeras, e outras ferramentas para realizar esse tipo de serviço. Se tem um ponto positivo nesse momento é uma aceleração dessas medidas tecnológicas e uma desburocratização de alguns processos, simplicidades que vieram para ajudar nas operações durante a luta contra o coronavírus e que podem ficar em definitivo”.

Operadores logísticos precisarão se adaptar

Mais acostumado ao e-commerce, Armando Marchesan Neto, presidente da Sequoia também falou ao painel. Além de reforçar as medidas de prevenção e segurança salientadas por todos em cada uma de suas empresas, ele destacou a importância do setor estar preparada para mudanças que o cenário atual e os próximos meses vão demandar.

“Não viveremos só de e-commece. No entanto, teremos que cada vez mais trabalhar no Omnichannel.

Portanto, investir para ter cada vez mais essa integração entre online e físico. O que vai demandar ainda mais capacidade de nós operadores logísticos. São mudanças muito dinâmicas e que devem seguir constantes até, pelo menos, o fim do ano”.

Fonte: Revista Frota Foto: Divulgação

 

Comente pelo Facebook

JORNAL Jul/2020
Top