PREFEITURA DE GUARAPUAVA – Menor tarifa é prioridade na Frente Parlamentar sobre o pedágio do Paraná

PREFEITURA DE GUARAPUAVA – Menor tarifa é prioridade na Frente Parlamentar sobre o pedágio do Paraná

19 de fevereiro, 2021

Depois de passar por 4 cidades, nesta quinta-feira (18), foi a vez de Guarapuava e região ter a oportunidade de participar da audiência pública sobre o pedágio, proposto pela Assembleia Legislativa do Estado do Paraná. A ideia é envolver a comunidade na discussão sobre o modelo de concessão para as rodovias paranaenses.

O atual contrato com as concessionárias que administram as rodovias no Paraná desde 1997, está terminando. A partir de novembro de 2021, uma nova licitação deve definir novos valores e condições para a administração das rodovias paranaenses. Menor tarifa é a principal proposta da Frente Parlamentar sobre o Pedágio do Paraná. As discussões aconteceram em audiência pública, na Câmara de Vereadores.
 
 “Precisamos rever os pontos negativos da concessão anterior, para que esses erros não ocorram novamente. Esse novo contrato vai perdurar pelos próximos 30 anos, por isso, é nosso dever avaliar cada item, priorizando a menor tarifa de pedágio, melhor estrutura nas rodovias, o que deve garantir mais segurança para os motoristas e pessoas que moram entorno das estradas”, destacou o prefeito de Guarapuava, Celso Góes.
 
O projeto apresentado pelo Ministério da Infraestrutura prevê a concessão de 3,3 mil km de rodovias pedagiadas, cerca de 834 km a mais do que o atual contrato; a implantação de 15 novas praças de pedágio, sendo quatro no Oeste, três no Sudoeste, três no Noroeste, duas no Norte e três no Norte Pioneiro; degrau tarifário estimado em 40%; e modelo híbrido, com uma taxa de outorga. Durante a audiência, os Deputados Estaduais manifestaram oposição e apresentaram uma série de apontamentos em relação à modelagem proposta no novo contrato, e destacaram ainda as obras previstas até o final do atual contrato que não foram realizadas ou foram suprimidas, como duplicações de rodovias e construção de trevos e contornos.
 
“Já sofremos 24 anos com um modelo com valores abusivos cobrados pelos pedágios e obras previstas que não aconteceram, não podemos deixar isso acontecer novamente, nós já pagamos esta conta”, disse a deputada Estadual Cristina Silvestri. “Através dessas audiências que estão acontecendo em todo Paraná, estamos debatendo e apresentando números, informações, que naquela época, do contrato anterior, não foram apresentadas na licitação”, complementou o Deputado Estadual Artagão de Mattos Leão Júnior.
 
O evento contou também com a participação do senador Flávio Arns, deputados estaduais e federais, prefeitos e vereadores da região, além de representantes de sindicatos, associações e cooperativas.
 
 Confira as principais exigências da sociedade civil organizada de Guarapuava sobre o novo modelo de pedágio:
 
 – Suspender a realização da Audiência Pública da ANTT até que seja revisto o estudo da ANTT que impõe o modelo de outorga;
– Não ao Degrau tarifário;
– Menor Tarifa (licitação pelo menor preço e não incluir pagamento de outorga em nenhuma hipótese);
– Transparência absoluta da licitação e execução dos contratos;
– Duplicar de Guarapuava até a Serra;
– Trincheiras em Laranjeiras do Sul;
– Duplicar toda a extensão da Rodovia BR-277;
– Duplicação responsável com trincheiras nas comunidades rurais para não isolar a comunidade rural e distritos;
– Marginais que liguem as cidades;
– Bloqueios nos canteiros centrais.

Fonte e Foto: Prefeitura de Guarapuava 

Comente pelo Facebook

JORNAL Fev/2021
Top