Lacre é usado para monitorar contêineres de forma eletrônica

Lacre é usado para monitorar contêineres de forma eletrônica

02 de agosto, 2017

Lacre é usado para monitorar contêineres de forma eletrônica

Monitorar contêineres de forma eletrônica, com alertas de violação do cofre em casos de mudança de temperatura ou de claridade. Este é o objetivo de um lacre desenvolvido pela multinacional Orbcomm e pela BlueAgle, especializada em tecnologia de monitoramento. O CargoWatch Secure atende a uma exigência da Alfândega do Porto de Santos.

De acordo com a Portaria nº 48 da Aduana, toda estufagem de contêiner com carga destinada à exportação deverá ser monitorada por câmeras com alta definição de imagem. Os equipamentos devem ser posicionados à frente da porta da caixa metálica, de modo a registrar toda a operação, até o fechamento dos cofres e a colocação dos lacres.

A regra determina ainda que todo o trajeto até o terminal de embarque também deverá ser monitorado eletronicamente. Os equipamentos de rastreamento instalados nos veículos deverão identificar, sempre que requisitado pela fiscalização, a rota adotada no percurso entre o recinto e o operador portuário.

Uma alternativa apresentada na portaria é a utilização de um lacre eletrônico que garanta a inviolabilidade da carga do recinto de origem ao destino. Esta é justamente a solução oferecida pelo Cargo Watch Secure.

O sistema permite o monitoramento remoto e o gerenciamento do contêiner durante o todo o trajeto. Isto poderá ser feito através de qualquer computador, tablet ou celular conectado à internet.

O lacre eletrônico é colocado do lado de fora do contêiner. Mas, no seu interior, também são instalados sensores. Eles são capazes de identificar mudanças de temperatura ou de luz dentro da caixa metálica.

Isto significa que, em caso de abertura das portas do contêiner, o sistema identificará uma alteração de claridade e de temperatura no cofre. Assim, o responsável pela carga receberá uma notificação via SMS ou e-mail. É possível cadastrar vários destinatários que receberão as informações sobre a caixa metálica.

Todo o trajeto feito pelo contêiner também é monitorado via GPS. De acordo com a empresa que desenvolveu o sistema, a precisão da localização é de 10 centímetros e os responsáveis pela carga podem receber informações a cada minuto sobre o posicionamento da caixa metálica.

O trajeto a ser feito pelos caminhões pode ser definido pelos responsáveis pela mercadoria. Em caso de desvio de rota indicada, também está previsto o envio de notificações.

Todos os dados de movimentação dos contêineres ficam armazenados, de acordo com as exigências da Alfândega. Segundo a portaria, as imagens devem ficar à disposição da fiscalização pelo prazo mínimo de 30 dias.

Interesse

De acordo com a empresa que fabrica o lacre eletrônico, além de Recintos Especiais para Despacho Aduaneiro de Exportação (Redex) do Porto de Santos, armadores e até operadores portuários, através da Associação Brasileira de Terminais Portuários (ABTP) já se interessaram pelo produto.

A ideia é que ele seja comercializado em uma espécie de comodato.

Fonte: Jornal A Tribuna

Comente pelo Facebook

JORNAL Ago/2019
Top