GP - Coronavírus vai arrasar nossa economia igual a greve dos caminhoneiros

GP - Coronavírus vai arrasar nossa economia igual a greve dos caminhoneiros

18 de março, 2020

O mundo inteiro está se mobilizando para combater o coronavírus, menos a China. O país asiático está fornecendo know-how para a Itália, depois de conseguir controlar o número de casos.

A economia chinesa já voltou a trabalhar, com grandes vantagens porque a China está comprando mais barato até empresas ocidentais. França, Alemanha e Estados Unidos adotaram medidas restritivas para impedir a proliferação do vírus.

Embora o vírus não seja letal, ele é muito contagioso. A Itália está apavorada porque o número de UTIs disponíveis não é suficiente para atender a todos, principalmente aos mais velhos que geralmente têm doenças pulmonares ou virais.

Os especialistas estão pedindo calma porque o pânico enfraquece as defesas. Nós somos um país tropical, o que vai nos ajudar. Mas o país vai sofrer consequências econômicas em decorrência da doença.

A greve dos caminhoneiros durou 11 dias e destruiu a economia. O Brasil estava voltando a crescer e esse crescimento foi interrompido. A greve também não ajudou a aumentar a taxa de emprego, as exportações despencaram e a inflação bateu o recorde dos últimos 20 anos no mês posterior.

Por conta do coronavírus, a indústria do turismo está sendo muito atingida. Está prejudicando os empregos em companhias aéreas, empresas de turismo, hotéis e cruzeiros. Aliás, alguns cruzeiros estão atracados no porto e as pessoas estão em quarentena dentro do navio.

Aqui, no Brasil, os bancos já anunciaram que podem negociar vencimentos com os setores que mais estão sofrendo. O Congresso disse que vai trabalhar a distância, sendo assim, não haverá votação.

Os tribunais estão transferindo as audiências para junho. O Tribunal do Trabalho disse que se houver alguém com sintomas, essa pessoa será afastada, mas que os trabalhos continuam.

Quem está lucrando com o coronavírus são os fabricantes de álcool em gel. Uma das empresas chegou a multiplicar por 50 a produção. Antes, produzia 120 mil frascos por mês e agora vai passar a produzir 6 milhões de frascos no mesmo período.

O setor está empregando. É necessário lavar as mãos com água e sabão e usar o álcool em gel. O que não é preciso é utilizar as máscaras, que antes custavam centavos e agora o valor aumentou absurdamente. Os especialistas não recomendam usar máscaras sem necessidade. A utilização da máscara pode ser prejudicial porque o vírus pode se fixar nela.

Fonte: Gazeta do Povo/Alexandre Garcia Foto: Nelson Almeida/AFP

Comente pelo Facebook

JORNAL Abr/2020
Top