G1 - Dólar opera em alta e bate R$ 5,65, à espera do Copom

G1 - Dólar opera em alta e bate R$ 5,65, à espera do Copom

06 de maio, 2020

O dólar abriu em alta nesta quarta-feira (6), em dia de definição da nova taxa básica de juros do país, atualmente em 3,75%, e após a agência de classificação de risco Fitch revisou a perspectiva da nota de crédito do Brasil para negativa.

Às 9h44, a moeda norte-americana subia 0,99%, a R$ 5,6485. Na máxima até o momento chegou a R$ 5,6510. Veja mais cotações.

Na véspera, o dólar terminou o dia cotado a R$ 5,5933, em alta de 1,31%, no terceiro pregão seguido de avanço. Na parcial da semana e do mês, a alta acumula é de 2,82%. No ano, o avanço é de 39,49%.

Cenário local e externo

O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) se reunirá nesta quarta, e a expectativa de analistas do mercado financeiro é que a taxa básica de juros caia de 3,75% para 3,25%.

Se confirmado, o percentual será o menor da taxa Selic desde 1999, quando entrou em vigor o regime de metas para a inflação. A decisão do BC será anunciada por volta das 18h.

Os cortes sucessivos da taxa têm sido fator de pressão sobre o real, uma vez que reduzem os rendimentos de investimentos atrelados aos juros básicos, tornando o Brasil menos atraente quando comparado a países com juros maiores e nível de risco semelhante.

Na véspera, a agência de classificação de risco Fitch manteve a nota de crédito do Brasil em BB-, mas revisou a perspectiva para negativa. Em nota, a agência apontou que a revisão reflete a deterioração das perspectivas econômicas e fiscais do país, e os riscos negativos tanto por conta da incerteza política quanto sobre a duração e intensidade da pandemia de coronavírus.

No exterior, os mercados tinham viés positivo nesta quarta, com os investidores esperançosos em relação a uma retomada da atividade empresarial à medida que vários países e Estados norte-americanos relaxam as restrições induzidas pelo coronavírus.

A Comissão Europeia, porém, divulgou nesta quarta projeção de contração recorde da economia da zona do euro em 2020. A instituição prevê que o PIB das 19 economias da zona do euro em seu conjunto devem ter uma contração de 7,7% este ano.

Fonte: G1 Foto: Divulgação

Comente pelo Facebook

JORNAL Jan/2021
Top