FETRANCESC – Tabela do Frete é discutida em Brasília

FETRANCESC – Tabela do Frete é discutida em Brasília

15 de junho, 2018

Chegar a uma solução sobre a Tabela de Preços Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas de que seja boa para todas as partes envolvidas. Com esse objetivo que o presidente da Fetrancesc, Ari Rabaiolli, e o presidente da NTC, José Hélio Fernandes, participaram na quarta-feira (13), de reuniões com ministros governo em Brasília.

A primeira reunião foi realizada com o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha. As lideranças do transporte pediram para que o governo reveja as elevadas multas aplicadas às empresas em função de estarem nos bloqueios da paralisação. Também foi assunto da reunião, a elaboração de uma nova tabela de preços mínimos do frete e que se tenha uma alternativa para não haver prejuízos ao setor.

A tabela de preços mínimos de frete também foi assunto em audiência com o ministro dos Transportes, Valter Casemiro. Os presidentes da Fetrancesc e NTC falaram sobre como a tabela é impraticável tanto para as transportadoras quanto para outras áreas econômicas. “A primeira tabela havia um desequilíbrio nos preços, a segunda amenizou, mas ainda precisa-se achar um meio termo, por meio do diálogo”, comentou Ari Rabaiolli.

Também durante esta reunião, a NTC colocou a disposição da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) uma equipe técnica para construir uma nova tabela. O ministro se sensibilizou ao assunto e confirmou que a ANTT vai abrir uma consulta pública para que a população possa participar do debate sobre o tema.
Participaram também das reuniões em Brasília o vice-presidente da Associação Brasileira de Logística e Transporte de Carga (ABTC), Nilton Guibson Jr, o presidente da Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Rio Grande do Sul (Fetransul), Afrânio Kieling, e o presidente em exercício da Federação das Empresas de Cargas do Paraná (Fetranspar), Carlos Antônio da Silva Vieira.

Tabela de Frete

Uma das reivindicações da greve dos caminhoneiros foi a elaboração e publicação de tabela que determinava os preços mínimos de frete. O governo publicou, no dia 30 de maio, uma primeira tabela de preços, que foi muito criticada por diversos setores produtivos.

Na semana passada, 7 de junho, a ANTT divulgou outro documento com novos valores de frete, mas desta vez não agradou os caminhoneiros. O governo então revogou essa última tabela e afirmou que o documento publicado no dia 30 voltaria a ter validade.

A ANTT emitiu uma nota na última terça-feira, 12 de junho, afirmando que “está em constante diálogo com as lideranças dos caminhoneiros e do setor produtivo do país para discutir ajustes na tabela frete”. A Agência também comunicou que ainda não há data para uma publicação de um novo documento com os valores de frete.

Fonte e Foto: FETRANCESC

 

Comente pelo Facebook

JORNAL Ago/2019
Top