ESTADÃO - Coronavírus pode causar a pior retração do PIB brasileiro em 120 anos

ESTADÃO - Coronavírus pode causar a pior retração do PIB brasileiro em 120 anos

13 de abril, 2020

Se a projeção do Banco Mundial de que a economia do Brasil vai encolher 5% este ano por causa do novo coronavírus se concretizar, essa será a maior retração que o país enfrentará em 120 anos. Segundo estatísticas históricas do IBGE, não há registro de uma queda tão grande da atividade em um único ano desde 1901.

A instituição divulgou suas novas projeções de crescimento para a América Latina neste domingo (12). A retração de 5% do PIB brasileiro é um dos piores desempenhos entre os grandes países da região. O economista-chefe do Banco Mundial para América Latina e Caribe, Martin Rama, frisou que os países com dívida mais elevada e com déficits fiscais anteriores à crise do novo coronavírus devem ter um espaço mais limitado para agir, como é o caso do Brasil.

Até agora, as projeções do Banco mostram uma retomada já em 2021 com crescimento de 2,6% na América Latina e no Caribe e de 1,5% no Brasil. Rama reconheceu, porém, que há uma “margem enorme de incertezas” e que será necessário monitorar os reflexos da pandemia para eventualmente fazer novos prognósticos.

Maior retração do PIB

A retração projetada para o Brasil, se concretizada, será o maior tombo do PIB em um único ano. Durante a recessão enfrentada pelo país recentemente, houve duas fortes quedas do PIB em 2015 e 2016, quando o resultado negativo foi de 3,8% e 3,6%, respectivamente. O resultado do biênio foi de recuo de 7,2%. Desde 2017, o Brasil reverteu a chave e passou a ter resultados positivos do PIB, porém, com crescimento patinando na casa de 1% ao ano.

Na história recente, o grande tombo em um único ano na economia ocorreu em 1990, quando houve retração de 4,35% – foi o ano do Plano Collor I e do confisco do dinheiro dos brasileiros. A segunda maior queda já registrada em um único ano foi em 1981, quando o PIB caiu 4,25% na esteira da crise da dívida externa brasileira.

Fonte: Estadão Foto: Divulgação

Comente pelo Facebook

JORNAL Abr/2021
Top