BAND NEWS - Economistas criticam modelo de concessão de pedágios e apontam falhas

BAND NEWS - Economistas criticam modelo de concessão de pedágios e apontam falhas

24 de fevereiro, 2021

O Ministério da Infraestrutura indicou que vai manter o modelo híbrido de concessão de pedágios, apesar das sucessivas críticas de economistas e especialistas. O Paraná debate, neste ano, o novo contrato para os próximos 30 anos. O acordo atual, em vigor desde 1997, se encerra em novembro. A expectativa era de que o novo modelo pudesse viabilizar um desconto de 67% para os usuários.

No entanto, o Governo Federal insiste em diretrizes que são contestas por setores da sociedade civil organizada. A priorização da outorga é um fator preocupante. Segundo o Conselho Regional de Economia do Paraná, atualmente, cerca de 40% do valor cobrado nos pedágios é para pagar o prêmio prometido pelas empresas ao Estado. // O economista Luiz Antonio de Camargo Fayet defende um modelo mais simples e racional.

Segundo ele, a opção mais óbvia e benéfica prioriza, no edital, as empresas que oferecem o melhor preço para os usuários das rodovias. É o modelo adotado em outros estados, onde os valores do pedágio são muito menores do que no Paraná:

O modelo defendido pelo Ministério da Infraestrutura permite que as concessionárias aumentem o preço do pedágio à medida que obras de melhoria são concluídas. No entanto, para o economista, esse valor já está previsto no cálculo inicial da tarifa.

Portanto, o aumento após a conclusão da obra torna-se injustificável:

Fayet reforça que o Paraná é um estado essencialmente rodoviário, com relevante produção agropecuária, o que garante às concessionárias um fluxo intenso e permanente.

O economista critica o protecionismo em favor das empresas, ao analisar que o modelo do governo federal permite a cobrança de taxas para cobrir eventuais variações cambiais:

A nova concessão em discussão no Paraná é dividida em seis lotes. Além das 27 praças de pedágio em funcionamento, outras 15 seriam criadas para que sejam implantadas todas as melhorias previstas. Desta forma, seriam 42 praças de pedágio no Paraná. O edital prevê a construção de 10 contornos urbanos, a duplicação de quase 1.800 quilômetros, cerca de 250 quilômetros de faixas adicionais e 100 quilômetros de terceiras faixas.

Fonte: Band News Foto: Reprodução RPC

 

Comente pelo Facebook

JORNAL Abr/2021
Top