AEN - Parceria entre Governo e Klabin assegura R$ 450 milhões para infraestrutura

AEN - Parceria entre Governo e Klabin assegura R$ 450 milhões para infraestrutura

18 de dezembro, 2019

O Governo do Estado e a Klabin anunciaram na terça-feira (17) um investimento de R$ 450 milhões da empresa para obras de infraestrutura. O recurso é parte dos R$ 9,1 bilhões que estão sendo investidos pela companhia na ampliação da planta de Ortigueira, nos Campos Gerais.

Um dos maiores investimentos privados da América Latina, o Projeto Puma II foi incluído no programa de incentivos do Governo do Estado e deve gerar 9 mil empregos diretos e indiretos na fase de implantação, além de mil postos de trabalho durante a operação.

O protocolo de intenções que formalizou o investimento, que prevê melhorias nas malhas viárias existentes na região de influência do projeto, foi assinado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior, pelo diretor-geral da Klabin, Cristiano Cardoso Teixeira; o diretor de Projetos da empresa, Francisco Razzolini; e pelos secretários Renê Garcia (Fazenda), Valdemar Bernardo Jorge (Planejamento e Projetos Estruturantes) e Sandro Alex (Infraestrutura e Logística).

O empreendimento da Klabin, afirmou o governador, ajuda a consolidar o ambiente industrial do Estado e traz uma transformação a toda a região dos Campos Gerais. “Além de gerar empregos e ampliar o desenvolvimento econômico e social da região, a confirmação desse investimento é um atestado do bom ambiente do Estado, um grande cartão de visitas”, disse. “Quando consolidamos este projeto, outras grandes empresas passaram a olhar o Paraná com bons olhos”, ressaltou.

“O compromisso assumido pela Klabin demonstra que nossos esforços estão orientados para o crescimento integrado e responsável. Assim como nossa indústria, os projetos que serão aprovados para esse investimento estarão guiados pela inovação, tecnologia e sustentabilidade, o que beneficia as comunidades do entorno de nossas operações”, afirmou o diretor-geral da Klabin, Cristiano Teixeira.

Obras

Durante o primeiro trimestre de 2020, a Klabin e a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística trabalharão no planejamento e detalhamento das obras e cronogramas. A empresa deverá executar as construções no período 2020 a 2024.

“As obras serão definidas em conjunto com a fábrica, atendendo às suas demandas e também a da população que vive na região”, afirmou o secretário Sandro Alex. “O importante é que todos serão beneficiados com estradas melhores, adequações e ampliação de capacidade que vão dar mais segurança para todos”, ressaltou.

Em contrapartida aos investimentos em infraestrutura que serão realizados pela Klabin, o Estado do Paraná concederá crédito presumido de ICMS, limitado ao valor efetivamente investido.

O protocolo também prevê contrapartidas do Estado para a região de influência do Projeto Puma II, como complementação de efetivos do batalhão da Polícia Militar, Corpo de Bombeiro e Polícia Civil; a implantação de Instituto Médico Legal (IML), Delegacia Cidadã e Centros de Socioeducação (CENSE); e o funcionamento do Hospital Regional de Telêmaco Borba.

Bons índices

Ratinho Junior afirmou que o Estado deve fechar 2019 com R$ 23 bilhões em investimentos privados, número que se reflete nos índices econômicos. A produção industrial do Paraná é a maior do País, com crescimento de 6,9% até outubro. Também está entre os estados que mais gerou empregos no ano, com quase 67 mil vagas criadas no período.

“Tudo isso é motivado pelo bom trabalho do poder público, em criar um ambiente jurídico com credibilidade e oferecer soluções para quem produz, e também pela confiança do setor privado. A ideia é continuar nesse mesmo ritmo no ano que vem, com a economia muito mais aquecida”, afirmou Ratinho Junior.

“A consolidação do empreendimento da Klabin é a demonstração de que o Paraná é um estado seguro para se investir, que dá uma boa rentabilidade para quem investe e, acima de tudo, fortalece nossa vocação de ser uma terra de gente que trabalha”, salientou o governador.

Projeto Puma II

Presente no Estado desde 1930, a Klabin instalou em 2016 uma unidade de produção de celulose em Ortigueira, com capacidade de produzir 1,5 milhão de toneladas por ano. O Projeto Puma recebeu investimentos de R$ 8 bilhões, com incentivos do governo. O empreendimento era, até então, o maior investimento privado já feito no Paraná.

Em maio deste ano, a empresa anunciou R$ 9,1 bilhões para a expansão da planta, que ampliará a capacidade de anual de produção da fábrica para 2,5 milhões de toneladas de celulose, com a produção integrada de 920 mil toneladas de papel por ano.

O Projeto Puma II compreende a instalação de duas máquinas de papel para embalagens (kraftliner), com produção de celulose integrada. A primeira etapa consiste na construção de uma linha de fibras principal para a produção de celulose não branqueada integrada a uma máquina de papel kraftliner, com capacidade de 450 mil toneladas por ano. A segunda contempla a construção de uma linha de fibras complementar integrada a outra máquina de papel kraftliner, com capacidade de 470 mil toneladas anuais.

Francisco Razzolini, diretor de Projetos, Tecnologia Industrial, Inovação, Sustentabilidade e Negócio de Celulose da Klabin, destacou este projeto consolida um novo passo da história da empresa no Estado. “A Klabin vem com um ciclo grande de investimentos no Estado desde 2016, o que significou um aumento de capacidade da empresa, ampliação na produção de celulose e de exportação pelo Porto de Paranaguá, que cresce a cada ano”, disse.

“Com este novo ciclo, estamos lançando um produto único no mundo: um papel para embalagem feito exclusivamente de eucalipto, desenvolvido ao longo dos últimos 25 anos. É uma inovação que a Klabin traz para o mercado”, explicou Razzolini. “Graças às terras produtivas do Paraná, temos a maior produtividade florestal do mundo e conseguimos consolidar esse projeto em tempo recorde, o que é muito importante para o nosso ciclo de crescimento”, afirmou.

Fonte e Foto: AEN

Comente pelo Facebook

JORNAL Out/2020
Top