AE - Caminhão especial, escolta e sigilo: é assim que a Vacina/Covid-19 vai ser transportada

AE - Caminhão especial, escolta e sigilo: é assim que a Vacina/Covid-19 vai ser transportada

20 de janeiro, 2021

A tão esperada vacina contra a Covid-19 começou a circular no Brasil logo após a autorização emergencial da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). A CoronaVac foi desenvolvida pela empresa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan e demanda uma logística especial (e secreta) até os locais onde ela será aplicada.

De acordo com o Guia para a Qualificação de Transporte de Produtos Biológicos da Anvisa, em vigor desde abril de 2017, esses medicamentos são constituídos por moléculas proteicas altamente complexas e tanto a instabilidade química quanto a física podem contribuir para uma perda de sua eficácia.

Caminhões refrigerados

Segundo a Anvisa, o medicamento necessita de uma temperatura controlada, então o transporte terrestre terá que ser feito por caminhões — e alguns furgões — com baú refrigerado, além, claro, do medicamento estar dentro de um isolante térmico durante todo o deslocamento para manter sua temperatura.

A vantagem da CoronaVac comparada a outras vacinas é justamente na gestão de armazenamento e distribuição, já que a temperatura de conservação exigida é entre 2 e 8°C, média que os freezers disponíveis no Brasil utilizam para outras vacinas, e pode sobreviver até seis meses.

Das 8,7 milhões de doses previstas em contrato para entrega até 31 de janeiro, 6 milhões já foram encaminhadas. Deste total, cerca de 1,4 milhão permanecerão em São Paulo, enquanto o resto será distribuído sob demanda para os outros estados do País.

Todas as vacinas da CoronaVac serão armazenadas no Centro de Distribuição e Logística (CDL) do Ministério da Saúde, que fica em Guarulhos, na região Metropolitana de São Paulo.

Antes de sair de lá, há um controle de qualidade para garantir que todos os lotes estão dentro do padrão. Os veículos também passam por vistoria para saber se a temperatura do baú está correta.

Nas regiões sul, sudeste e centro-oeste, as vacinas serão entregues apenas pelos caminhões e furgões refrigerados. Já nas regiões norte e nordeste o transporte será aéreo, e, ao chegar aos respectivos destinos, os veículos climatizados são responsáveis pelo deslocamento em terra. Alguns lugares ainda receberão barcos com câmaras especiais para dar apoio no transporte.

Chegando em cada estado, todas as vacinas são encaminhadas para os centros estaduais que são localizados na capital. Lá, as secretarias de saúde definirão quanto cada cidade irá receber do lote, e as doses são transportadas para os centros municipais.

Após chegar em cada local, o armazenamento das vacinas e a logística dos veículos são de responsabilidade da prefeitura local.

A frota atual será de 100 veículos pelo Brasil, entre caminhões e furgões, mas até o final de janeiro a previsão é que mais 50 caminhões façam parte da frota. Todos os veículos possuem sistema de rastreamento e bloqueio via satélite.

Fonte: Auto Esportes Foto: Divulgação

 

Comente pelo Facebook

JORNAL Nov/2021
Top